Home » PREVIEW: Estratégias para o GP Saudita

PREVIEW: Estratégias para o GP Saudita

RedBull e Ferrari voltaram a monopilizar a primeira linha da grelha, e o foco tático pela vitória estará sobretudo nestas duas equipas.

Isto a contar claro que o regime saudita, em guerra há 7 anos com o Iémen não arma uma gracinha, se ficam com os passaportes, ficarem com os cartões de acesso ao paddock porque lhes apetece ver um piloto específico ganhar não seria grande surpresa.

Luta pela vitória

Mesmas equipas lá na frente, mas a ordem dos pilotos ligeiramente diferente.

Sergio Perez conseguiu a primeira pole-position da sua carreira, e lidera os dois Ferrari, com o seu colega de equipa Max Verstappen em 4º lugar.

Ao segundo GP do ano, teremos já jogo de equipa da RedBull para ajudar Max na reconquista do título?

Se sim é possível que vejamos um primeiro stint de corrida muito rápido com os dois RBR a atacarem. Considerando claro que se mantêm nas mesmas posições.

Isto, porquê?

Ritmo elevado no ínicio da corrida obrigará a uma quebra com o segundo pelotão, isto será importante para a RBR abrir um espaço atrás para fazerem parar Max Verstappen mais cedo do que os 3 carros que seguem à sua frente. Abrir este espaço será fundamental para fazer um undercut agressivo funcionar.

Isto significaria saírem de pneu macio, mas quiçá mais importante utilizariam Perez para reduzir o ritmo dos dois Ferrari enquanto Max tenta o undercut. O salto seria de P4->P1.

Claro, se aqui estes dois estarolas pensaram nisto, a Ferrari também o terá feito. Para a Scuderia dividir estratégia talvez não fosse má ideia. Teria por exemplo Sainz ritmo no médio? Mesmo não tendo…não é mau.

Vejamos, se Sainz estiver numa tática que o obriga a um primeiro stint mais lento, está a fazer de tampão a Verstappen, aqui é complicado ultrapassar, e isto pode deitar por terra a tentativa de undercut da RBR.

Para a Ferrari ganhar, undercut para ser a solução mais óbvia caso não se resolva em pista, mas correm o risco de caírem para trás de Verstappen, e deste oferecer a vitória ao seu colega de equipa (ahah, eh pah não dá para dizer isto com uma cara séria).

Se Leclerc ou Sainz não chegam à primeira posição antes das paragens, a possibilidade estaria na definição do segundo stint…quiçá terceiro. Seria mais uma oportunidade de dividir os pilotos e pedir a um para fazer uma paragem extra. Uma estratégia a dar prioridade à posição em pista, outra ao diferencial de ritmo em momentos chave do Grande Prémio.

Perez sussura aos pneus – “Amanhã conto convosco meus putos”

Melhor dos outros?

Os compostos para Jeddah

A pirelli trouxe para a Arábia Saudita os compontos justo no meio da sua gama, C2, C3 e C4. Com um asfalta menos abrasivo em Jeddah espera-se menor desgaste durante a prova, mas as novas regras de aquecimentos de pneus, com temperatura e tempo limitados nas mantas, pode ser de extrema importância.

George Russell está entre os dois Alpine e depois seguem-se Bottas, Gasly e Magnunssen.

A meio do pelotão paragens nas boxes têm tendência a gerarem reações de outras equipas para evitarem undercuts. Com a nova regra da temperatura dos pneus, erros podem significar cair dos pontos.

O desgaste, não sendo algo à partida tão preocupante, pode também ter um papel decisivo, pelo menos, na escolha dos compostos para as diferentes fases da corrida.

Alonso por exemplo sofreu bastante no Bahrain, poderia dar preferência a um composto mais duro em relação ao seu colega de equipa?

Atenção também a Russell. Fez bons tempos de médio, estará a Mercedes confiantes neste pneu?

Ocon sai como “melhor dos outros”

Hamilton

Apesar da má qualificação, 16º para Lewis Hamilton, acreditamos que há mais ritmo no W13 do que isso. A nossa aposta na tática de Lewis Hamilton é muito simples, sair de médio ou duro e fazer um overcut a todos os demais, ou pelos menos a todos os que conseguir.

Acreditamos que este seja o caso, quer saia do pit-lane ou não.

Hamilton terá de fazer uma corrida de trás para a frente.

Luta pelos pontos

Com Alfa Romeo, Haas e Alpine em melhor forma do que as equipas equipadas (equipas equipadas, tal Português, mas azar, vai ficar) com motores Mercedes parece estar díficil para mais alguém fora essas três marcar pontos.

A McLaren parece um pouco melhor, mas no Bahrein foi Lance Stroll a mostrar bom ritmo de corrida. O AMR22 parece cuidar bem dos pneus e os domingos parecem ser ligeiramente melhores do que os Sábados. Dará para pontos?

A McLaren com Norris em 11º lugar está muito perto, manterem-se colados aos lugares dos pontos e capitalizar em erros, estando na expectativa talvez seja a abordagem dos papaya.

Lance Stroll pode estar a olhar para pontos, mas está complicado para a Aston Martin

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *