Home » WRC: Kale Rovanperä vence o Rally da Croácia

WRC: Kale Rovanperä vence o Rally da Croácia

Segunda vitória do ano para o finlandês

Kale Rovanperä venceu um Rally da Croácia disputado até à última especial! Rovanperä parecia ter o rally perfeitamente controlado já na sexta-feira. Um Tänak ao ataque reentrou na luta no Sábado mas a vantagem do finlandês no final do segundo parecia suficiente para controlar o rally no domingo. Mas, uma má escolha de pneus e a imprevisibilidade metereológica, deixaram tudo por decidir até à Power Stage.

Domínio logo no primeiro dia

Rovanperä entrou a dominar na Croácia. O homem do #69 venceu 3 das 4 especiais da manhã do primeiro dia. Apenas Elfyn Evans quebrou o domínio ao vencer a PEC3, ele que foi um dos primeiros a experimentar o festival de furos da Pirelli. À tarde, repetiu-se o filme: mais 3 vitórias nas segundas passagens. Desta vez, quem ficou com a sobra foi Neuville que venceu a última especial do dia.

Tänak voou baixinho mas não chegou sequer para andar perto de Rovanperä

De fora tinham já ficado Esapekka Lappi, depois de partir a suspensão do Yaris GR ao acertar numa pedra e Adrien Formaux que deixou o Puma Rally1 uma vez mais em muito mau estado.

Ao final do dia, na sexta-feira, Rovanperä liderava já com 1m23s(!) de avanço para Ott Tänak e 1m35s sobre Craig Breen. Thierry Neuville viria ainda a ser penalizado em 1 minuto no final do dia por excesso de velocidade na ligação.

Geral no final do primeiro dia

Tänak recupera no segundo dia

Ao segundo dia as coisas foram diferentes. Rovanperä terminou o dia na frente mas com a diferença reduzida para 19.2s. Tänak chegou a encurtar para cerca de 13s mas o finlandês respondeu na última especial do dia e recuperou um pouco mais de 6s, vencendo a sua sétima especial no rally.

O dia tinha começado com o incêndio no Hyundai de Oliver Solberg, após despiste. Felizmente, foi só um bocado de chapa chamuscada, ninguém se maguou. A PEC9 foi neutralizada mas Evans foi o vencedor.

A PEC10 viu um regressado Esapekka Lappi ser o mais rápido, naquela que seria a primeira de três vitórias no dia para o outro finlandês da Toyota. Lappi juntaria ainda vitórias na PEC13 e PEC14 à coleção.

Pelo caminho, Tänak venceu a PEC11 e a seguinte foi para Neuville. A décima quinta especial, penúltima do dia, foi anulada devido ao nevoeiro. Como dissemos acima, Rovanperä venceu a última do dia, a primeira com direito a um pouco de sol, num rally até aí disputado à chuva.

Criag Breen terminou o segundo dia num importante terceiro lugar para a M-Sport

O dia ficou ainda marcado por furos, muitos furos. Se a contabilidade não nos falha, Greensmith somava 5 furos em todo o rally até ao final de sábado, Loubet já tinha 3 (ele que, tal como Greensmith, foram forçados a abandonar por ficarem sem pneus após demasiados furos…), Rovanperä e Katsuta 2, Evans e Tanäk tinham 1 cada um até aí.

Geral no final do segundo dia

Título de domingo

O melhor do rally estava guardado para Domingo. Lappi foi o mais rápido na PEC17 mas, na luta que contava, Rovanperä consolidou a liderança ao ganhar mais 11s a Tänak. Na classificativa seguinte, Neuville foi o mais rápido e Tänak começou o contra-ataque, recuperando 2.5s e colocando a diferença para Rovanperä em 28s quando faltavam apenas duas especiais para terminar o rally.

Mas a PEC18 tinha reservado um golpe de teatro. A chuva voltou e Rovanperä tinha equipados dois pneus duros e dois de chuva. A escolha mais arriscada de Tänak, dois macios e dois de chuva, pagou e o Campeão do Mundo de 2019 recuperou 29.8s a Rovanperä e saltou para a liderança do rally. À entrada da Power Stage, Tänak era primeiro com 1.4s de vantagem sobre o finlandês.

A escolha de pneus em teoria daria uma ligeira vantagem a Tänak na secção inicial da classificativa mas Rovanperä não pareceu muito importado. Nos 14.09km da Power Stage o piloto da Toyota foi buscar 5.6s a Tänak e venceu com autoridade a classificativa e o rally. Tänak e Rovanperä estiveram noutro campeonato na Power Stage. O terceiro melhor, Elfyn Evans, já ficou a mais de 20s de Rovanperä.

No final, isso traduziu-se numa vantagem de 4.3s sobre Tänak e a quarta vitória da carreira para Rovanperä. Thierry Neuville completou o pódio, já a 2m21s de Rovanperä. Craig Breen foi o melhor dos Ford, em quarto, seguido de Elfyn Evans.

No WRC2, com o dominador Mikkelsen ausente, a vitória foi para Yohan Rossel em Citroën C3.

O WRC segue dentro de momentos

Terminado o Rally da Croácia, é hora do baptismo dos Rally1 em pissos de terrra. E qual catedral melhor para fazer essa cerimónia do que o Rally de Portugal?

A prova portuguesa é a próxima no calendário do WRC e disputa-se de 19 a 22 de Maio. A presença de Ogier já estava confirmada há algum tempo mas esta semana ficamos a saber que terá a companhia de Loeb nas nossas estradas.

Kale Rovanperä chega líder destacado a Portugal e, a menos que desista e Neuville vença o rally e a Power Stage, o finlandês saíra de Portugal ainda líder do campeonato.

Classificação do Mundial de Pilotos
Classificação do Mundial de Construtores

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.